FAQ

Conheça as dúvidas mais frequentes dos nossos alunos e suas respectivas respostas.

1- Aproveitamento especial de estudos

Se você acha que domina o conteúdo de uma disciplina que ainda não cursou, você pode, no período estabelecido no Calendário Acadêmico, solicitar um exame desta disciplina. O processo é enviado ao Departamento responsável pela disciplina, que marcará o dia de realização da prova. Se você obtiver nota não inferior a 7,0 a disciplina vai para o seu histórico, com aprovação, sem você precisar cursá-la. Caso a nota seja inferior a 7,0 a disciplina irá pro histórico como reprovada. Só que tem um detalhe, para participar você não pode ter trancamento ou reprovação na disciplina nem estar nela matriculado.

2- Atestado médico

Para justificar ausência às aulas por motivo de saúde deve-se encaminhar, até 5 dias úteis contados a partir do início da enfermidade, requerimento ao DAA acompanhado de atestado que será submetido ao setor médico da UFS. O requerimento pode ser feito por qualquer pessoa e não precisa de procuração. Neste caso, não há abono de faltas. A legislação vigente prevê atividades domiciliares prescritas pelo professor para compensar a ausência às aulas. O requerimento pode ser feito por qualquer pessoa e não precisa de procuração.

3- Atividades complementares

São atividades extra-curriculares desenvolvidas na UFS ou fora dela e que podem ser convertidas em créditos eletivos. A solicitação é feita junto ao Colegiado do Curso que, em caso de aprovação, enviará ao DAA em formulário específico as informações que serão lançadas no histórico do aluno. Segue a transcrição do trecho das Normas Acadêmicas que trata deste assunto:

3.1- Das atividades complementares Art. 98 – Denominar-se-á atividades complementares, aquelas extracurriculares realizadas no âmbito da universidade ou fora dela, desde que previamente autorizadas pelos colegiados dos cursos em que os alunos se acham matriculados, e classificados em um dos seguintes itens:

a)programas de estudos ou projetos relacionados às áreas de ensino, pesquisa e extensão, coordenados por docentes da UFS ou reconhecidos pelo colegiado do curso;

b) cursos,seminários, encontros, congressos, conferências, palestras e viagens de estudo que integram um dos programas ou projetos especificados no item anterior. Art. 99 – Para fins de controle acadêmico, os créditos obtidos em atividades extracurriculares serão encaminhados ao DAA, ao final de cada semestre, pelos presidentes de Colegiados para serem registrados no histórico escolar do aluno. Art. 100 – O controle da frequência e a verificação da eficiência nas atividades complementares ficarão sob a responsabilidade do coordenador de cada projeto ou programa de estudos, e, quando for o caso, do professor da disciplina vinculada à área de conhecimento do evento considerado. Parágrafo Único – A verificação da eficiência será feita através da apresentação de relatório pelo aluno. Art. 101 – Para viabilizar a conversão das horas de atividades complementares em créditos, o Departamento de Administração Acadêmica (DAA) colocará à disposição dos Colegiados de Curso formulários específicos a serem repassados aos docentes. Art. 102 – A participação em atividades complementares dará direito ao aluno obter 01 (um) crédito eletivo para cada 15 (quinze) horas de frequência e eficiência comprovadas, respeitando o limite máximo de 8% (oito por cento) do total de créditos do curso. Art. 103 – Após complementar 15 (quinze) horas de atividades complementares, o aluno poderá requerer ao Departamento de Administração Acadêmica (DAA) o registro dos créditos em seu histórico escolar, mediante apresentação de certificado fornecido pelo Colegiado de Curso ou dos formulários mencionados no Art. 101 destas Normas.

4- Certificados e créditos de monitoria

“A monitoria é uma atividade didático-pedagógica vinculada a um Projeto de Monitoria, desenvolvida por alunos de graduação da UFS, que visa a contribuir para o aperfeiçoamento do seu processo de formação e melhoria da qualidade do ensino, sob a orientação do professor responsável pela disciplina.”(Resolução 38/05/CONEP, Art. 2º) Os créditos podem ser requeridos a cada vez que é concluído o exercício de uma monitoria. O certificado deve ser requerido, em datas estabelecidas no Calendário Acadêmico e que costuma ser na segunda semana de aula, após o exercício das 4 monitorias às quais o aluno tem direito, ou no semestre de conclusão do curso. É facultado apenas aos concluintes o direito de requerer crédito de uma monitoria que ainda está em desenvolvimento.

5- Disciplina eletiva

Consulte no site a Grade Curricular do seu curso. Você vai ver que ela é composta por disciplinas obrigatórias e optativas. A depender do seu Colegiado de Curso qualquer outra disciplina existente na UFS poderá ser considerada eletiva para o seu curso. A grande maioria dos Colegiados não impõem restrições. Por razões óbvias pra quem é da área, o aluno de Matemática não pode se matricular em Matemática Básica para cursá-la como eletiva, o aluno de Física não pode fazer Física Básica e nem o aluno de Química pode fazer o mesmo com Química Básica. Os créditos obtidos em disciplinas eletivas substituem os optativos, mas não podem ultrapassar o limite de 8% do total de créditos do curso.

6- Disciplinas em trânsito

São disciplinas destinadas a alunos regulares de instituições de ensino superior de outros estados da federação que desejam cursar, por período determinado, nesta Universidade, mantendo o vínculo com a instituição de origem. O aluno não pode perder o vínculo com a instituição de origem enquanto estiver cursando disciplinas nesta IES.

A cada semestre solicita-se um máximo de 6 disciplinas para cursar um máximo de 3 e no ato da solicitação deve ser entregue declaração de vínculo com a instituição de origem. Pode-se cursar até 4 semestres consecutivos ou não. Deve ser solicitada em um semestre para cursar no semestre seguinte. As datas em que devem ser feitas a solicitação e a matrícula são estabelecidas, a cada semestre, no Calendário Acadêmico, disponível aqui.

O preenchimento das vagas se dá por ordem de chegada e será feito nas vagas que restarem após os ajustes de matrícula dos alunos regulares da UFS. Os documentos necessários para se requerer disciplinas em trânsito são: Carteira de identidade – fotocópia. CPF – fotocópia. Declaração de vínculo com data atualizada. Histórico escolar. Programas das disciplinas que são pré-requisitos para as disciplinas solicitadas. Os originais dos documentos devem ser apresentados para que as fotocópias sejam autenticadas pelo DAA.

7- Disciplinas isoladas

Destinam-se a portadores de diploma de curso superior. Documentos necessários: Carteira de identidade – fotocópia CPF – fotocópia Diploma – fotocópia Histórico escolar Programas das disciplinas que são pré-requisitos para as disciplinas solicitadas Os originais dos documentos devem ser apresentados para que as fotocópias sejam autenticadas pelo DAA.

A cada semestre solicita-se um máximo de 6 disciplinas para cursar um máximo de 3. Pode-se cursar até 12 disciplinas em semestres consecutivos ou não. Deve ser solicitada em um semestre para cursar no semestre seguinte. As datas em que devem ser feitas a solicitação e a matrícula são estabelecidas, a cada semestre, no Calendário Acadêmico, disponível em www.daa.ufs.br. O preenchimento das vagas se dá por ordem de chegada e será feito nas vagas que restarem após os ajustes de matrícula dos alunos regulares da UFS.

8- Disciplinas obrigatórias

São disciplinas que constituem o currículo padrão do curso e estão distribuídas por período letivo. O aluno deve ser cursar, obrigatoriamente, estas disciplinas. No site, na opção que mostra as grades curriculares dos cursos, clicando sobre a disciplina é possível saber para quais cursos a disciplina e é obrigatória e para qual período de cada curso.

9- Disciplinas optativas

São disciplinas que constituem o currículo complementar do curso. O aluno deve ser cursar algumas destas disciplinas. No site, na opção que mostra as grades curriculares, clicando sobre a disciplina é possível saber para quais cursos a disciplina é optativa.

10- Horário de atendimento do DAA

De segunda à sexta, das 9h às 12h, 14h às 16h30 e 18h às 20h

11- Prazos do DAA para expedição de documentos.

Atestados, declarações e históricos são disponibilizados dentro de 48 horas a partir do momento do pedido. Já os programas são disponibilizados em 8 dias úteis a partir da solicitação.

12- Licença maternidade

A partir do oitavo mês de gestação e durante 3 meses a estudante em estado de gravidez ficará assistida pelo regime de exercícios domiciliares instituído pelo Decreto Lei N0 1.044, de 21 de outubro de 1969 combinado com a Lei N06.202, de 17 de abril de 1985, específica para a gestante.

Para usufruir deste benefício deve ser apresentado aqui no DAA atestado médico que comprove que a aluna se encontra no oitavo mês de gestação. Observe-se que a Lei estabelece um período de 3 meses a partir do oitavo mês. Se o atestado for apresentado apenas no nono mês, por exemplo, o período de cobertura será de apenas 2 meses.

O atestado pode ser apresentado pela aluna ou por alguém de sua confiança. Não precisa de procuração. Durante o período de amparo da lei a aluna não está obrigada a assistir aula, mas seus professores podem passar exercícios que devem ser feitos em casa, os chamados exercícios domiciliares. A aluna deve, antes do afastamento, combinar com seus professores de que forma isto será feito.

13- Matrícula curricular

É a matrícula em disciplinas e deve ser feita todos os semestres, em datas especificadas no Calendário Acadêmico. Iniciado o período letivo regular o aluno que não estiver matriculado em nenhuma disciplina será desligado da UFS. Para evitar que isto aconteça, ele deve solicitar uma Dispensa de Matrícula na dentro da data limite especificada no Calendário Acadêmico.

14- Preenchimento extra-vestibular de vagas remanescentes

Todos os semestres estabelecemos no Calendário Acadêmico o período para requerer ingresso na UFS, extra-vestibular, em vagas remanescentes, para os casos de Transferência Interna e Externa, Readmissão e Ingresso como Portador de Diploma. Cerca de 30 dias antes do início do período de inscrição publicamos na imprensa e colocamos também no site do DAA um Edital que contém, entre outras coisas, cursos com vagas disponíveis, datas, critérios de seleção e documentos necessários. Veja último Edital aqui.

15- Trancamento

O trancamento pode ser total ou parcial. É total quando se tranca todas as disciplinas e é parcial quando se tranca apenas algumas. O trancamento traz prejuízo para o aluno: quando ele vai solicitar matrícula em uma disciplina que já trancou ele fica em desvantagem com relação aos alunos que nunca trancaram esta mesma disciplina. Se o aluno não pretende cursar um determinado semestre ele deve solicitar, no dia da matrícula, uma Dispensa de Matrícula. Pelas regras atuais, durante sua vida acadêmica o aluno tem direito a 1 trancamento total e 2 dispensas de matrícula, em semestres consecutivos ou não. Estes procedimentos precisam ser renovados a cada semestre.

15.1- Dispensa de matrícula

Se o aluno não pretende cursar um determinado semestre ele deve solicitar, no dia da matrícula, uma Dispensa de Matrícula. Este procedimento deve também ser adotado pelo aluno que, depois de todas as etapas da matrícula curricular, não estiver matriculado em nenhuma disciplina. Durante sua vida acadêmica o aluno tem direito a 2 dispensas de matrícula, em semestres consecutivos ou não. Este procedimento, se necessário, precisa ser renovados a cada semestre.

15.2- Critérios para preenchimento de vaga nas disciplinas

O preenchimento das vagas nas disciplinas obedece à seguinte ordem decrescente de prioridade: Disciplina turma ofertada para o curso Tipo: obrigatória, optativa, eletiva, nesta sequência decrescente Aluno formando, Menor número de oportunidades que o aluno teve para cursar a disciplina (reprovações e\ou trancamentos) Maior Índice de Regularidade Maior número de créditos acumulados pelo aluno Maior MGP Funciona assim: Primeiro procura-se atender todos os alunos para os quais aquela turma foi ofertada.

Se, depois disto, ainda sobrar alguma vaga atende-se o pessoal dos outros cursos. Obedecida a primeira prioridade, parte-se para a segunda: primeiro atende-se o pessoal que tem a disciplina como obrigatória, depois aqueles que têm a disciplina como optativa e por último aqueles que têm a disciplina como eletiva. Atentem, no entanto, para um detalhe: a prioridade 1 prevalece sobre a 2. Por exemplo: se uma turma é ofertada apenas para um curso que tem a disciplina como optativa os alunos deste curso serão atendidos antes dos alunos de outros cursos, mesmo que a disciplina seja obrigatória para alguns destes outros cursos. A seguir, dá-se preferência aos alunos formandos.

Detalhe: se o aluno é formando e a turma foi ofertada para o curso dele, ele está lá pelo topo da lista. Mas se a turma não foi ofertada para o curso dele, ele só entra depois do preenchimento das vagas pelos alunos dos cursos para os quais a turma foi ofertada. E por aí vai: quem nunca trancou e nunca teve reprovação em uma disciplina tem preferência sobre aqueles que já trancaram ou foram reprovados nesta disciplina. Outro exemplo: se só tiver uma vaga sobrando e 2 alunos com o mesmo Índice de Regularidade estiverem disputando esta vaga, a preferência será dada para o que tiver maior número de créditos acumulados, se o empate persistir a preferência será dada ao aluno que tiver maior MGP.

16- Índice de regularidade

O Índice de Regularidade (IR) corresponde ao quociente entre a média dos créditos cursados pelo aluno a partir do seu ingresso na UFS no curso atual (CMA) e a média dos créditos que devem ser cursados para integralizar o currículo do curso no tempo padrão (CMC). Ou seja, IR = CMA/CMC O CMA é calculado pelo quociente entre a soma dos créditos cursados pelo aluno (CA) e o número de semestres letivos frequentados a partir do seu ingresso no curso. O CMC é expresso pelo quociente entre o total de créditos do curso e o número de períodos letivos do currículo padrão.

No cálculo do CA serão levados em conta apenas os componentes curriculares que estão sendo efetivamente utilizados para a integralização do curso, não sendo considerados os componentes extracurriculares que figuram no histórico como créditos cursados. E a MGP? A média geral ponderada (MGP) é calculada multiplicando-se a média de cada disciplina cursada na UFS, com aprovação, pelo respectivo número de créditos e dividindo-se a soma destes produtos pela soma dos créditos.

No cálculo da MGP serão consideradas apenas as disciplinas cursadas na UFS depois que o aluno começou o seu curso e apenas aquelas com aprovação. As disciplinas cursadas fora da UFS e aquelas cursadas na UFS quando o aluno estava fazendo outro curso não entrarão no cálculo da MGP.

Explicando: A média aritmética simples de n valores é definida como a soma dos n valores dividida por n. Por exemplo: a média aritmética simples dos 3 números 7, 6 e 8 é (7+6+8)/3=21/3=7. A média ponderada de n valores com seus respectivos n pesos é definida como a soma dos produtos dos n valores pelos seus respectivos pesos, dividindo-se este resultado pela soma dos pesos.

No caso da nossa Média Geral Ponderada os valores são as notas obtidas pelo aluno em cada disciplina e os pesos são os números de créditos de cada disciplina. Por exemplo: se o aluno obteve nota 7 em uma disciplina de 3 créditos, nota 6 em uma disciplina de 4 créditos e nota 8 em outra que tem 5 créditos, a sua MGP será (7×3+6×4+8×5)/(3+4+5)=(21+24+40)/12=85/12=7,0833…, que arredonda para 7,1 segundo a teoria dos erros. Um detalhe: o cálculo da MGP engloba todas as disciplinas constantes do histórico do aluno (veja exceção, logo abaixo), daí que vem o termo Geral, entre as palavras Média e Ponderada. Não entram no cálculo da MGP: Disciplinas com reprovação Disciplinas trancadas Disciplinas cursadas fora da UFS Disciplinas cursadas na UFS quando o aluno fazia outro curso Disciplinas consideradas como Créditos Cursados.

17- Transferência ex-ofício Documentos necessários

Cópia do boletim interno, publicado no Diário Oficial da União, que estabeleceu a remoção; Histórico escolar; Perfil do vestibular; Programas das disciplinas cursadas; Declaração de vínculo com a instituição onde está matriculado; Cópia da carteira de identidade; Prova de quitação com o serviço militar; Recolhimento da taxa de R$ 70,00. Para ter direito à vaga na UFS o aluno precisa estar vindo de uma instituição pública de ensino superior.

18- Onde encontro as regras de TCC?

As normas de TCC encontram-se aqui em nosso site nos seguintes links: Audiovisual, Jornalismo, Publicidade e Propaganda.

19 – A quais cursos se destinam as novas normas acadêmicas?

Aos cursos regulares de graduação, os cursos presenciais e os cursos à distância, com oferta permanente e sistemática.

20 – Quem é responsável pela execução, registro e controle das atividades acadêmicas?

Os docentes, os colegiados, os departamentos ou núcleos de graduação, os centros ou Campi fora da Sede e a Pró- Reitoria de Graduação (PROGRAD).

21 – Quais os tipos de cursos de graduação ofertados pela UFS?

Curso de bacharelado: curso superior que confere ao diplomado competências em determinado campo do saber para o exercício de atividade profissional, acadêmica ou cultural e que dá direito ao grau de bacharel;

Curso de licenciatura: curso superior que confere ao diplomado competências para atuar como professor na educação básica e que dá direito ao grau de licenciado;

Curso tecnológico: curso superior de formação especializada em áreas científicas e tecnológicas, que confere ao diplomado competências para atuar em áreas profissionais específicas, caracterizadas por eixos tecnológicos, e que dá direito ao grau de tecnólogo.

22- Qual o turno de funcionamento dos cursos de graduação?

Os cursos de graduação funcionarão nos turnos matutino, vespertino, noturno ou integral.

23 – Como são as atividades nos cursos de turno integral?

Os cursos ofertados em turno integral poderão desenvolver atividades inteira ou parcialmente em mais de um turno, exigindo a disponibilidade do estudante por mais de 6 (seis) horas diárias.

24 – O que é a estrutura curricular?

Estrutura curricular de um projeto pedagógico de curso é o conjunto de componentes curriculares que possibilitam a formação pretendida pelo mesmo, deve estar embasada nas diretrizes curriculares definidas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) e é composta por um currículo padrão e por um currículo complementar que juntos comporão o currículo pleno do curso.

25 – Qual o limite para ultrapassar a carga horária total na graduação?

Na estruturação de cada currículo a carga horária total para graduação só poderá ultrapassar a estabelecida pelo CNE até o limite de 10%.

 26 – Quais os componentes curriculares relativos a cada estrutura curricular?

Obrigatórios: compõem o currículo padrão e seu cumprimento é indispensável à integralização curricular devendo os mesmos serem cursados por todos os discentes do curso;

Optativos: compõem o currículo complementar, devendo ser cumpridos pelo discente mediante escolha, a partir de um conjunto de opções, e totalizando uma carga horária mínima para integralização curricular estabelecida no projeto pedagógico do curso.

III. Eletivos: correspondem a componentes curriculares, que não pertencem à estrutura curricular à qual está vinculado o estudante.

 27 – Qual o limite máximo para cursar componentes eletivos?

Componentes eletivos também podem ser cursados até o limite máximo de 8% da carga horária total do curso e serem computados como carga horária optativa.

28 – Posso solicitar matrícula em componentes extracurriculares com 8% acima da carga horária total do curso?

Só o estudante com Média Geral Ponderada (MGP) maior ou igual a 7,0, Índice de Regularidade (IREG) maior ou igual a 0,85 e que já tenha integralizado um mínimo de 25% da carga horária do seu curso pode solicitar matrícula em componentes extracurriculares em percentual superior a 8% da carga horária total do curso.

29- O que é o sistema de créditos?

Caracteriza-se como um sistema flexível de organização didático-administrativa dos cursos, em que a matrícula e a avaliação do rendimento escolar são feitos por componente curricular.

30 – Minha matrícula pode ser cancelada automaticamente pelo Departamento de Administração Acadêmica (DAA)?

Terá sua matrícula institucional cancelada pelo Departamento de Administração Acadêmica (DAA), órgão da PROGRAD, o discente cuja integralização curricular não ocorrer no prazo máximo estabelecido para o curso a que esteja vinculado e o discente enquadrado nas situações previstas no Art. 49 destas Normas.

31 – Posso solicitar prorrogação de prazo para conclusão do curso?

No período letivo regular correspondente ao prazo máximo para integralização curricular, o Colegiado do Curso poderá conceder ao estudante prorrogação deste prazo para conclusão do curso, nos seguintes casos:

Para os estudantes com necessidades especiais, afecção congênita ou adquirida que importem em redução da capacidade de aprendizagem, mediante avaliação da Junta Médica Oficial da UFS em conformidade com a legislação pertinente;

Até dois períodos letivos, nos demais casos, desde que o cronograma, elaborado pelo Colegiado do Curso, preveja a integralização curricular neste prazo.

32 – O que é vaga ociosa?

Aquela resultante de cancelamento do registro acadêmico de estudante de curso de graduação da UFS.

33 – Quais os tipos de pré- requisitos para os componentes curriculares dos cursos de graduação da UFS?

Pré-Requisito Obrigatório (PRO): o componente curricular cujo conteúdo programático é indispensável à aprendizagem de outro componente curricular, ficando a matrícula no segundo condicionada à aprovação no primeiro;

Pré-Requisito Recomendativo (PRR): componente curricular cujo conteúdo programático é recomendável para o aprendizado do conteúdo programático de outro componente curricular, não sendo a matrícula no segundo condicionada à aprovação no primeiro.

34 – O que são as atividades individuais?

São as atividades acadêmicas específicas que o discente desempenha sem participação ou orientação de um professor da UFS e que, no entendimento do projeto pedagógico do curso, contribuem para sua formação e devem ser registradas no histórico escolar.

35 – O que são as atividades de orientação individual?

São as atividades acadêmicas específicas que o estudante desempenha individualmente, sob a orientação de um professor da UFS, e que, no entendimento do Projeto Pedagógico do Curso, são obrigatórias ou contribuem para sua formação e devem ser registradas no histórico escolar.

36 – O que são as atividades de orientação coletiva?

São as atividades acadêmicas específicas constantes no projeto pedagógico do curso em que um grupo de discentes cumpre as atividades previstas para aquele componente curricular sob a orientação ou supervisão de um ou mais professor da UFS.

37 – O que é o estágio curricular?

Estágio é uma atividade acadêmica específica, disciplinada pela legislação vigente, definido como o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação do discente para o trabalho produtivo.

38 – Quais as modalidades de monitoria na UFS?

Monitoria com bolsa: com remuneração específica, de acordo com as disponibilidades dos recursos oriundos da UFS.

Monitoria voluntária: sem remuneração específica.

39 – A que se dá a aprovação em uma disciplina?

Está condicionada ao rendimento escolar do discente, verificado através da avaliação da aprendizagem e da assiduidade, e implica a integralização da disciplina.

40 – Quem pode ser reprovado nas disciplinas?

O estudante que não apresentar assiduidade mínima de 75% do total das aulas e atividades no período letivo, ressalvados os casos previstos em lei.

Do estudante que obtiver média igual ou superior a 7,0, será exigida assiduidade mínima de 50%, excetuados os casos de disciplinas que, por seu caráter eminentemente prático, tornem inadmissível a dispensa da frequência regular às aulas. As propostas de alteração curricular ou de criação de cursos de graduação deverão especificar claramente quais disciplinas possuem caráter eminentemente prático que torne inadmissível a dispensa da frequência regular às aulas. Além das notas acima haverá o conceito RF correspondente a Reprovação por Falta de frequência.

41 – O que é mobilidade externa e qual o seu objetivo?

A mobilidade externa tem como objetivo permitir uma movimentação temporária de estudantes para a busca de experiências acadêmico-científicas e culturais para a sua formação. A mobilidade externa é dependente de convênio ou acordo de reciprocidade, celebrado, entre a UFS e outras IES nacionais ou internacionais.

 42 – O que é mobilidade interna?

Entende-se por mobilidade interna a permissão, por no máximo três períodos letivos regulares, para que discentes vinculados a um curso de um campi da UFS possam matricular-se em componentes curriculares de outro campi desta instituição, e que se insiram em uma das seguintes situações:

Mobilidade interna compulsória: quando o estudante servidor público, ocupante de cargo efetivo, for realizar estágio ou treinamento, for transferido temporariamente ou for posto à disposição de outros órgãos por tempo determinado, acarretando mudança em seu local de trabalho ou em seu endereço domiciliar, e,

Mobilidade interna voluntária: quando o estudante se desloca de seu campus de origem para cursar períodos letivos em outro campi da UFS.

43 – O que é a transferência compulsória?

É o ato decorrente da transferência, para a UFS, do vínculo que o estudante de curso de graduação mantém com a instituição de origem, nacional ou estrangeira, independente da existência de vaga e de prazo para solicitação.

Define-se por instituição de origem aquela à qual o discente encontra-se vinculado por ocasião da solicitação.

44 – Quando é concedida a transferência compulsória?

A transferência compulsória será concedida quando atendidos os requisitos adiante e as condições estabelecidas em legislação específica:

Tratar-se de comprovada transferência ou remoção ex-officio de servidor público federal ou militar das Forças Armadas, acarretando mudança de local de trabalho para o Estado de Sergipe;

O acesso ao ensino superior tiver ocorrido mediante processo seletivo reconhecido como válido pela legislação federal vigente;

III. A transferência ou remoção ex-officio de que trata o Inciso I deste artigo ocorrer após o ingresso do discente na instituição de origem, e,

O curso do requerente na instituição de origem for legalmente reconhecido ou autorizado; Entende-se por servidor público federal o ocupante de cargo da administração direta, autárquica ou fundacional, criada e mantida pelo poder público federal.

45 – O que é a transferência externa?

É o ato decorrente da transferência, para a UFS, do vínculo que o estudante de curso de graduação mantém com a instituição de origem nacional mediante ocupação de vagas específicas e aprovação em processo seletivo próprio.

A transferência externa dar-se-á do curso, legalmente reconhecido ou autorizado, em que o estudante encontra-se matriculado na instituição de origem para o mesmo curso na UFS. Os candidatos inscritos serão submetidos a um processo seletivo regulamentado em Edital específico.

46 – O que é a transferência interna?

Transferência interna é a forma de ingresso que permite ao estudante de curso de graduação da UFS, uma vez, por meio de processo seletivo específico, a mudança do curso a que está vinculado, para outro curso oferecido pela UFS, atendidas às seguintes condições:

Ter ingressado na UFS, no curso a que está vinculado, através de processo seletivo para vagas iniciais;

Ter integralizado, na estrutura curricular a que esteja vinculado, pelo menos 15% da carga horária total;

III. Possuir vínculo atual ativo há mais de dois períodos letivos regulares;

Ter integralizado pelo menos 8% da carga horária obrigatória do curso para o qual pleiteia a transferência.

As condições estabelecidas nos incisos acima devem estar satisfeitas no ato da inscrição no processo seletivo. Cabe à PROGRAD a execução do processo seletivo de transferência interna, que será disciplinado em Edital específico.

47 – Interrompi meu curso e agora quero retornar. Posso tentar uma readmissão?

Readmissão é o retorno de ex-estudante da UFS que tenha interrompido seu curso e pleiteie continuá-lo, a partir de um novo ingresso. Para participar do processo de readmissão é necessário que seja possível a conclusão do curso dentro do prazo máximo estabelecido no projeto pedagógico.

48 – O que é a permuta de Campus ou Pólo?

A permuta de campus consiste na troca de sede entre estudantes vinculados a um mesmo curso de campi distintos.

A permuta de campus é concedida uma vez e poderá ocorrer somente após os interessados terem integralizado pelo menos 15% da carga horária total da estrutura curricular a que estejam vinculados.

 49 – O que é a permuta de turno? Como conseguir?

A permuta de turno consiste na mudança de turno entre discentes vinculados a turnos distintos de um mesmo curso/sede/tipo/modalidade.

A permuta de turno é concedida uma vez e somente poderá ocorrer caso os interessados tenham integralizado pelo menos 15% da carga horária total da estrutura curricular a que estejam vinculados. A permuta de turno será efetivada mediante processo seletivo a ser disciplinado em Edital específico.

50 – Como trocar de curso de graduação?

A mudança de tipo de curso de graduação implica na desvinculação do curso de graduação em que o discente se encontra para vinculação em um curso com mesmo nome, mas com tipo diferente.

Situações de compulsoriedade da mudança de tipo de curso de graduação poderão ser previstas nos projetos pedagógicos dos cursos. Será permitida aos discentes a solicitação de mudança de tipo de um mesmo curso de graduação, desde que o interessado tenha integralizado um mínimo de 50% da carga horária do curso em que ele se encontra matriculado, independentemente da existência de vagas ociosas, mantendo-se a mesma matrícula e período letivo de ingresso do vínculo anterior.

51 – Para quem é permitida a mobilidade nacional ou internacional?

É permitido o ingresso na UFS, sem a prestação de processo seletivo e sob a condição de estudante em mobilidade, aos estudantes amparados por acordos celebrados pela UFS com instituições nacionais ou estrangeiras. Os discentes em mobilidade serão regidos por regulamentação específica e pelos acordos celebrados com suas instituições de origem.

52 – Quais as maneiras para ocorrer desvinculação?

A desvinculação de um estudante de um curso de graduação pode ocorrer por: integralização curricular, ou, cancelamento da matrícula no curso.

 

© 2015 DCOS UFS. Todos os direitos reservados.